Técnicos da UFCG/CDSA realizam visita técnica em propriedade rural do Município de Sumé para orientar no manejo de animais

Técnicos da UFCG/CDSA realizam visita técnica em propriedade rural do Município de Sumé para orientar no manejo de animais
Foto: Ascom
Técnicos da UFCG/CDSA realizam visita técnica em propriedade rural do Município de Sumé para orientar no manejo de animais

A convite do agricultor familiar e criador de caprinos e ovinos, Paulo Damião Alves, do Comunidade Rural Brava III, Município de Sumé-PB, foi realizada visita técnica em sua propriedade por técnicos do Laboratório de Alimentos do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido da UFCG. O objetivo foi fazer uma análise e diagnóstico do rebanho de caprinos e ovinos do produtor, que ultimamente vem registrando perdas significativas de animais por mortalidade.

O zootecnista Agenor Correia (técnico em Agropecuária - Laboratório de Alimentos) e a técnica em Agroindústria, Carla Mailde estiveram na propriedade e visitaram tanto o rebanho animal quanto as estruturas da propriedade, com vistas a identificar os principais fatores que estão levando a mortalidade dos animais.

O zootecnista identificou a necessidade de manejo integrado do rebanho, sendo os manejos nutricional, sanitário e reprodutivo imprescindíveis no planejamento da produção. “É fundamental que o produtor tenha uma reserva de alimentos para complementação alimentar dos animais em pastejo, especialmente no período seco, pois somente a pastagem nativa da Caatinga não consegue suprir as exigências nutricionais do rebanho; além disso, é necessário adotar medidas sanitárias para prevenção e controle de doenças nos caprinos e ovinos, como também o controle reprodutivo para evitar parições neste período de estiagem”, disse Agenor.

 “Ouvir atentamente o que o criador tem a dizer é fundamental numa visita técnica, pois qualquer diagnóstico prescinde de um diálogo atento”, enfatizou Carla Mailde.

As principais queixas do agricultor visitado são dificuldades de acesso ao crédito rural para que possa custear e investir na propriedade, como também a ausência de assistência técnica para acompanhamento e planejamento das mais viáveis formas de manejo.